Réinventer Paris

Reinventar Paris

 

Em novembro de 2014, o URBEM iniciou participação no projeto de desenvolvimento urbano Réinventer Paris, promovido pela prefeitura da capital francesa. O objeto do Réinventer Paris foi a venda ou concessão de um conjunto de 23 propriedades que pertenciam à Prefeitura e que, por meio da concorrência, passaram a pertencer aos vencedores que apresentarem a melhor proposta urbana/arquitetônica e valor financeiro. Ou seja, a Prefeitura transformou esses terrenos em plataformas de inovação urbana e assim organizou uma concorrência onde projetos inovadores vieram necessariamente acompanhados de lastro econômico dos proponentes.

As propriedades situam-se todas em áreas centrais de Paris (sempre dentro da Péripherique) e apresentam áreas de potencial construtivo variado (desde 1.000 m2 até 70.000 m2). Das 23 propriedades, 10  são prédios históricos que serão retrofitados e as outras 13 são terrenos que receberão projetos totalmente novos.  Esses ativos - fotos abaixo - podem ser vistos em mais detalhes no website http://www.reinventer.paris/en/sites/. Algumas estão em áreas nobres de high end retail, como o Hotel Coulanges na rue de Francs Bourgeois no 4eme, outras se destinam a grandes construções built-to-suit, como Pershing, primeira concessão em Paris de direitos aéreos sobre o anel Péripherique, que deverá receber algo icônico, emblemático da Paris do século 21. 


Pela primeira vez, o URBEM estruturou projetos com recursos de terceiros, captados junto a dois grupos privados brasileiros, a GAMARO Desenvolvimento Imobiliário e Grupo Moura. A GAMARO é uma empresa privada de promoção e investimento imobiliário; o Grupo Moura é uma empresa especializada na produção de baterias elétricas. Com eles, o URBEM formou um consórcio que integrou o atelier Tryptique e a Ilion Partners.

 

Para o desenho dos projetos, o grupo reuniu uma equipe de arquitetos franceses, brasileiros, suíços, italianos, norte-americanos e chilenos e apresentou propostas para 13 propriedades. Entre eles estão Alex Washburn (Chief Urban Designer de NY na era Bloomberg), NNBJ (EUA), Carlo Ratti (Italia/EUA), Paulo Mendes da Rocha (BRA), Philippe Rahm (SUI), Triptyque (FRA/BRA), MMBB (BRA), Edouard François (FRA), Andrade Morettin (BRA), Philippe Chiambaretta (FRA), Alejandro Aravena (CHI), Angelo Bucci (BRA), Marcio Kogan (BRA), Joly&Loiret (FRA). 

O Chamamento teve cronograma de 3 fases e se estendeu pelo ano de 2015. O Consórcio coordenado pelo URBEM passou a primeira fase com sucesso (terminada em 31.1.2015) com sucesso nas 13 propriedades em que lançou propostas. Para a 2a fase, que demandou a apresentação de Ofertas Iniciais para cada uma das propriedades até 11 de maio de 2015, o URBEM fechou alianças com incorporadores locais para a validação dos modelos e posicionamento conjunto. Houve uma média de 30 concorrentes em cada terreno e a partir das Ofertas Iniciais apresentadas, o URBEM foi conduzido à final em 2 propriedades. Em novembro de 2015, as duas Ofertas Finais colocadas pelo Consórcio foram classificadas em segundo lugar. A presença do URBEM no certame foi registrada no periódico frances Architecture d'Aujourd'hui e pode ser lido na seção "Textos". A revista especializada Monolito dedicou número especial (#32) ao conjunto dos projetos apresentados pelo Instituto.  

 

1/12
  • facebook
  • Twitter Round
  • googleplus
  • flickr

© URBEM - Instituto de Urbanismo e Estudos para a Metrópole