Cidade Linda

Da “Cidade Limpa” para a “Cidade Linda”

Proposta de Programa Municipal para a restauração de corredores de grande visibilidade

 

Com o sucesso do "Cidade Limpa", um dos grandes desafios da Prefeitura é agora o de promover a  regeneração dos grandes corredores urbanos marcados pela presença de edifícios com fachadas em péssimo estado de conservação. Vias de intensa circulação como a S. João, a S. Luís, o Minhocão, a Ipiranga, a 9 de julho, a Consolação, além do Centro, estão tomadas por prédios degenerados que, por dominarem a paisagem, exercem um impacto negativo enorme sobre a imagem urbana, corporativa, humana e turística de São Paulo.

 

Sugere-se aqui um mecanismo de restauração em grande escala, capaz de reverter em prazos curtíssimos esse quadro de degeneração e assim mudar radicalmente a paisagem metropolitana ainda neste ciclo administrativo. Trata-se de mecanismo simples, altamente eficaz e de viabilidade comprovada em outras cidades européias.
 

Por meio de normativa estabelecida pela Prefeitura, prédios degenerados de grande visibilidade, situados em corredores viários importantes de São Paulo, são transformados em espaços temporários de publicidade e ofertados a anunciantes que queiram utilizá-lo gratuitamente, em troca de projeto de reabilitação ou limpeza da fachada do edifício considerado.
 

Em tal contexto, o mecanismo funcionaria conforme o que segue:
 

  1. prédios e corredores degenerados de grande visibilidade são pré-selecionados pela Prefeitura como integrantes do Programa;

  2. empresas interessadas apresentam projeto de restauração da fachada (com plano arquitetônico e estrutura de custos) e, quando aprovados, recebem autorização para recobrir o prédio com andaimes e véus translúcidos contendo anúncios publicitários, durante todo o período da reforma.

  3. o prazo da reforma deverá ser de no máximo 12 meses
     

Em 10 anos de existência, programa semelhante adotado em Barcelona, denominado "Barcelona, posa't guapa"  (que numa tradução livre do catalão, corresponderia a “Barcelona, ponha-se bonita”), realizou mais de 22.000 renovações que foram responsáveis pela verdadeira revolução na paisagem estética urbana verificada nesse município. Os resultados iniciais do Programa foram colhidos em prazos bastante curtos, o que permitiu que Barcelona pudesse resgatar rapidamente sua imagem estética, melhorando a qualidade de vida de seus cidadãos,  e promovendo a sua reentrada no circuito das mais belas cidades européias.
 

S. Paulo pode replicar essa experiência bem sucedida, reabilitar sua paisagem em menos de dois anos e, ao mesmo tempo, lançar as bases para um mecanismo histórico para manutenção permanente da paisagem urbana. Recursos não faltarão. Nos anos anteriores ao Cidade Limpa, cerca de R$ 700 milhões foram gastos anualmente com anúncios de outdoors na Cidade de S. Paulo. Os prédios a serem reabilitados constituem um espaço “prime” de publicidade e o seu uso gratuito, em troca das reformas, constituirá uma oportunidade comercialmente vantajosa de realizar propaganda de altíssima exposição e elevado retorno. Ganha a empresa, ganha o Poder Público, ganha o Cidadão.

  • facebook
  • Twitter Round
  • googleplus
  • flickr

© URBEM - Instituto de Urbanismo e Estudos para a Metrópole